Câncer de pulmão

Câncer de pulmão
Câncer de pulmão

Nesse artigo você poderá conhecer melhor o que é câncer de pulmão, seus tipos, principais sintomas que podem lhe ajudar a identificar, como é feito o diagnóstico definitivo e como é o tratamento quando detectado.

O que é o câncer de pulmão?

O câncer de pulmão é um dos tumores malignos mais comuns em todo o mundo. De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), a doença atinge mais de um milhão de pessoas no mundo. Somente no Brasil são mais de 150 mil casos por ano. Essa patologia é a segunda mais frequente entre os homens, enquanto que entre as mulheres ele alcança o quarto lugar.

Em 90% dos casos o câncer de pulmão é diagnosticado após os 50 anos de idade, sendo a faixa etária de 60 a 70 anos o grupo mais frequentemente comprometido.

Dentre os mais diversos tipos de câncer, o de pulmão é um dos que mais mata no mundo. Entretanto, ele também é uma doença potencialmente evitável, pois, como se sabe, o tabaco está diretamente associado ao desenvolvimento desse câncer, sendo a causa de 90% de todos os casos.

Pesquisas mostram que pessoas com câncer de pulmão apresentam um risco maior de desenvolverem outros tipos de câncer. Além disso, parentes de primeiro grau (filhos e irmãos) de pacientes também podem desenvolver a doença. Entretanto, não é possível dizer o quanto desse aumento está relacionado com fatores hereditários ou por conta do hábito de fumar.

Tipos de Câncer de Pulmão

Existem vários tipos diferentes de câncer de pulmão, sendo divididos em dois grandes grupos:

Câncer de células não-pequenas: são os mais comuns e constituídos por três subtipos: carcinomas de células escamosas, adenocarcinomas e carcinomas de células grandes.

Células de células pequenas: são mais raros e mais agressivos.

Sintomas do câncer de pulmão

O câncer de pulmão não difere muito de outros tipos da doença quando o assunto são os sintomas. Assim como em outros casos, o câncer de pulmão é assintomático, ou seja, não apresenta sintomas em sua fase inicial.

É comum que os sintomas decorrentes dessa patologia apareçam apenas quando a doença já está em estágio avançado.

Tosse – normalmente acompanhada de sangue, dor no peito, rouquidão, perda de apetite, falta de ar, fadiga, tosse com expectoração mucosa e infecções são alguns dos principais sintomas do câncer de pulmão.Boa parte desses sintomas pode ser confundida com outras doenças, por isso é importante que um especialista avalie o caso para que o diagnóstico seja preciso. A maioria dos cânceres de pulmão não causam quaisquer sintomas até que se disseminam. Os sinais e sintomas mais comuns do câncer de pulmão são:

Em alguns casos, a doença pode causar um grupo de sintomas muito específicos, conhecidos como síndromes.

Síndrome de Horner – Tumores localizados da parte superior dos pulmões podem danificar um nervo do pescoço, causando uma dor intensa no ombro. Esses tumores podem causar ptose palpebral (queda de uma pálpebra), miose (constrição da pupila), enoftalmia (afundamento do olho) e anidrose (transpiração diminuída do lado afetado da face).

Síndrome da Veia Cava Superior – A veia que leva o sangue da cabeça e braços de volta ao coração, passando ao lado da parte superior do pulmão direito e dos nódulos linfáticos no interior do tórax. Os tumores pressionam a veia cava e podem causar inchaço na face, pescoço, braços e parte superior do tórax, além de dores de cabeça, tontura, e alteração na consciência se afetarem o cérebro. Deve ser tratada imediatamente.

Síndromes Paraneoplásicas – Alguns tipos de câncer de pulmão podem funcionar de forma semelhante a órgãos secretores de hormônios, substâncias que entram na corrente sanguínea, causando problemas em tecidos e outros órgãos, mesmo que não haja metástase. Estes problemas podem ser os primeiros sintomas do câncer de pulmão. Algumas das síndromes paraneoplásicas mais comuns, que podem ser causadas pelo câncer de pulmão de não pequenas células, incluem: hipercalcemia, crescimento excessivo de alguns ossos, coágulos de sangue e ginecomastia.

Diagnóstico

Quando existe a suspeita de câncer de pulmão, o médico pode solicitar testes complementares, mas somente após analisar cuidadosamente os sintomas e os resultados dos exames clínicos. Exames como: Raio-X, tomografia computadorizada, bronquioscopia e a coleta de material para biópsia.Em alguns casos a equipe médica pode recorrer à cirurgia para auxiliar no diagnóstico.

O diagnóstico definitivo pode ser feito somente através do exame anatomopatológico, ou seja, é necessária obtenção de uma amostra de tecido (biópsia) para que se possa fazer um exame da célula pelo patologista e assim definir o tipo de tumor que a pessoa apresenta.

Tratamento do câncer de pulmão

Assim que o diagnóstico é definido, é necessário determinar a extensão do tumor, ou seja, o estadiamento da doença, que pode ser classificado em I, II, III ou IV. Onde o estádio I representa os tumores mais iniciais, II os tumores pouco maiores, mas restritos aos pulmões, III os tumores avançados dentro do tórax, e IV são os tumores que já se disseminaram pelo organismo.

O tratamento do câncer varia de acordo com o estádio da doença. Cirurgia, radioterapia e quimioterapia são os principais recursos utilizados para o tratamento.

Apesar de ser uma doença grave e agressiva, os pacientes com essa patologia têm muitos recursos para tratar o câncer ou, pelo menos, para amenizar suas consequências.

Quando o paciente apresenta o câncer de células não-pequenas e restrito única e exclusivamente ao pulmão, a cirurgia pode ser a melhor forma de controlar a doença. Aproximadamente 20% dos casos diagnosticados são passíveis de tratamento cirúrgico.

Já os pacientes com metástases em outros órgãos além do pulmão, podem recorrer à quimioterapia, pois esta apresenta a melhor forma de tratamento.

Vídeo sobre o Tratamento Câncer de Pulmão

Como prevenir o câncer de pulmão?

O risco de um fumante desenvolver câncer de pulmão é de cerca de 20 a 60 vezes maior que o risco de um não fumante. Mesmo para o fumante passivo, o risco é de pelo menos três vezes mais que o de uma pessoa não exposta à fumaça do cigarro. Quanto maior o consumo de tabaco maior será o risco de desenvolver câncer de pulmão. Sendo assim, a melhor forma de prevenir o câncer de pulmão é parando de fumar.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *