Câncer no Colo do Útero

Câncer no Colo do Útero
Câncer no Colo do Útero

Prevenção e o tratamento contra o câncer no colo do útero

O câncer do colo do útero, também conhecido como cervical, é provocado por uma infecção persistente por alguns tipos de Papilomavírus Humano (HPV). O contágio genital por esse vírus é muito comum e não provoca enfermidade na maioria dos casos. Mas, em algumas ocasiões, podem acontecer mudanças celulares que tem chance de se tornar câncer.

Essas mudanças celulares são reconhecidas com facilidade no exame preventivo, também conhecido como Papanicolaou, e podem ser curados na maioria das vezes. Portanto, é sempre importante a efetuação desse exame.

Vale citar que o câncer no colo do útero é o terceiro tumor mais comum entre as mulheres, ficando atrás apenas do câncer de mama e do colorretal, sendo o quarto motivo de falecimento de mulheres por câncer no país.

Prova de que o país melhorou na possibilidade de efetuar diagnostico de prevenção é que nos anos 1990, 70% dos casos se tratavam da enfermidade invasiva. Isso significa que já estavam na etapa mais grave da doença. Hoje em dia, 45% casos são de lesão precursora do câncer, conhecida como in situ.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), aproximadamente 16 mil casos são descobertos todos os anos e cerca de 5 mil pessoas falecem anualmente por causa do câncer no colo do útero.

Prevenção do Câncer no Colo do Útero

A prevenção básica desse tipo de câncer tem a ver com a redução da chance de contagio pelo papilomavírus humano (HPV). O contágio da infecção pelo HPV acontece por via sexual.

Então, consequentemente, a utilização de preservativos no decorrer da relação com penetração assegura uma proteção maior do contágio pelo HPV, que também pode acontecer por meio do contato com a pele da vulva, região perianal e bolsa escrotal.

Os principais elementos de risco estão ligados ao começo precoce da vida sexual e de contar com muitos parceiros sexuais. É preciso evitar o tabagismo, a utilização prolongada de pílulas anticoncepcionais, também podem ser encarados como costumes ligados ao aumento da chance de surgimento do câncer no colo do útero.

Vacinação contra o HPV

O Ministério da Saúde do país instaurou no calendário de vacinal desde 2014, a vacina tetravalente contra o HPV para garotas entre os 9 e os 13 anos de idade. Essa vacina garante proteção contra os subtipos 6, 11, 16 e 18 do HPV. Os subtipos 6 e 11 provocam o aparecimento de verrugas nas partes genitais e os dois últimos são responsáveis por aproximadamente 70% dos casos desse tipo de câncer.

Desta maneira, a vacinação, além do exame preventivo, serve de complemento como ações para evitar o surgimento dessa doença. Até mesmo as mulheres que receberam a vacina, quando atingem a idade de 25 anos precisam realizar o exame preventivo regularmente, já que a vacina não garante proteção contra todos os tipos ontogênicos da doença.

Sintomas Câncer no Colo do Útero

O câncer no colo do útero se trata de uma enfermidade de evolução lenta que pode surgir sem nenhum sintoma em seu primeiro momento e apresentar quadros de sangramento vaginal intermitente ou logo depois de uma relação sexual, secreção vaginal incomum e dores na região do abdômen associada a queixas urinarias nos momentos mais críticos.

Tratamento do Câncer no Colo do Útero

O tratamento para cada caso precisa ser analisado e contar com a orientação de um médico. Entre os tratamentos mais frequentes para o câncer do colo do útero aparecem a cirurgia e a radioterapia. O tipo de tratamento vai depender do estágio da doença, dimensão do tumor e características de cada paciente, como a idade e a vontade de ainda ter filhos.

Vídeo sobre Tratamento para o câncer de colo de útero


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *